Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

Zona de Proteção Especial da Ria de Aveiro – PTZPE0004

A Zona de Proteção Especial (ZPE) da Ria de Aveiro, PTZPE0004, tem uma área de 51.407 ha, com uma área marinha de 20.737 ha. Distribui-se por diversos concelhos da região do Baixo Vouga. No 8 de julho de 2014 foi aprovada a inclusão da Ria de Aveiro na Lista Nacional de Sítios, pela Resolução do Conselho de Ministros nº45/2014. O Sítio Ria de Aveiro é ligeiramente inferior em área, mas coincidente na quase totalidade da sua extensão terrestre com a ZPE, diferindo principalmente na sua ocupação marinha. A associação desta área à Diretiva Habitats vem reforçar a relevância deste conjunto de ecossistemas húmidos para a conservação da diversidade biológica, colmatando a insuficiente representação na Rede Natura 2000 de alguns habitats sensíveis, listados no anexo B-I da Diretiva Habitats.


A ZPE / SIC da Ria de Aveiro encontra-se agrupada no conjunto das “Grandes Zonas Húmidas” conjuntamente com os Estuários dos Rios Minho e Coura, Lagoa de Santo André, Ria Formosa e os Sapais de Castro Marim. É considerada como a zona húmida mais importante do Norte do país, albergando grande diversidade de comunidades vegetais halófilas e sub-halófilas numa extensa área estuarina, representando consequentemente a área mais importante de ocorrência do habitat 1130 (Estuários). Destaca-se também por constituir a área onde o habitat 1330 (Juncais e prados-juncais da aliança Glauco maritimae-Juncion maritimi) apresenta maior expressão no território nacional.


Nesta importante zona húmida destaca-se a existência de extensas áreas de sapal, salinas, áreas significativas de caniço e importantes áreas agrícolas, onde se incluem as abrangidas pelo Aproveitamento Hidro-Agrícola do Vouga. Estes biótopos apresentam-se como locais fundamentais para alimentação e reprodução para diversas espécies de aves, albergando regularmente mais de 20 000 aves aquáticas correspondendo a cerca de 173 espécies, com particular destaque para o elevado número de aves limícolas.


Apenas 4% da ZPE, equivalendo a aproximadamente 7% do SIC, se encontra no Concelho de Águeda. Abrange parcialmente as freguesias de Segadães (apenas uma pequena área), Travassô, Óis da Ribeira, Fermentelos, Espinhel, Recardães, Barrô e Aguada de Baixo, sendo que parte desta área corresponde a áreas alagadas e inundáveis, como, por exemplo, as várzeas dos rios Águeda e Cértima, abrangendo ainda a Pateira de Fermentelos.
O rio Águeda tem um curso de mais de 50 km, desde o Caramulo onde se localiza a sua nascente até a foz, na confluência com o rio Vouga. Parte do seu percurso está incluída na ZPE Ria de Aveiro.


O rio Cértima, tal como o rio Águeda conta com uma profusa rede de afluentes, abrangendo uma área de mais de 500 km2. Na confluência dos rios Cértima e Águeda surge a Pateira de Fermentelos, como um espraiamento do primeiro. Pelo relevo que a Pateira tem a nível local e regional, pela sua riqueza natural, histórica e como zona húmida de singulares caraterísticas, merece particular destaque.


Fauna e Flora


Na Zona de Proteção Especial da Ria de Aveiro destaca-se a existência de extensas áreas de sapal, salinas, áreas significativas de caniço e importantes áreas agrícolas, onde se incluem as abrangidas pelo Aproveitamento Hidro-Agrícola do Vouga. Estes biótopos apresentam-se como importantes locais de alimentação e reprodução para diversas espécies de aves, albergando regularmente mais de 20 000 aves aquáticas, correspondendo a cerca de 173 espécies, com particular destaque para o elevado número de aves limícolas. Na área de abrangência da ZPE são definidas orientações de gestão para as espécies de aves que ocorrem. São alvo destas orientações o Garçote (Ixobrychus minutus - código A022), a Garça-vermelha (Ardea purpurea – código A029), o olhereiro (Platalea leucorodia - código A034), o Milhafre-preto (Milvus migrans - código A073), a Águia-sapeira (Circus aeruginosus - código A081), a Águia-pesqueira (Pandion haliaetus - código A094), o Perna-longa (Himantopus himantopus - código A131), a Andorinha-do-mar-anã (Sterna albifrons – código A195) e de Pilrito-de-peito-preto (Calidris alpina - código A466), aves marinhas migradoras, passeriformes migradores de matos e bosques e passeriformes migradores de caniçais e galerias ripícolas.


Relativamente a espécies da flora com relevância pelo seu estatuto de proteção, nomeadamente pela sua inclusão nos anexos B-II, B-IV e B-V, encontramos na zpe as seguintes espécies: Arnica Montana (B-V), Cladina ciliata (B-V), Cladina portentosa (B-V), Jasione lusitanica (B-II e B-IV), Myosotis lusitanica (B-II e B-IV), Narcissus bulbocodium (B-V), Ruscus aculeatus (B-V).


A Zona de Proteção Especial encontra-se representada, no concelho, pela Pateira de Fermentelos e os afluentes que a alimentam e lhe dão origem. Uma informação detalhada da fauna e da flora presentes, pode ser consultada no portal da Pateira de Fermentelos.

Saiba mais>>