Passar para o Conteúdo Principal
Hoje
Máx C
Facebook
AguedaTv
Share
RSS

PR 1 - TRILHO DA PATEIRA AO ÁGUEDA

ABERTO

Partida e chegada: Parque da Pateira em Óis da Ribeira ou Espinhel
Âmbito: Ambiental, paisagístico, cultural e desportivo
Tipo de percurso: de pequena rota, circular, por caminhos rurais e florestais pedestres e cicláveis
Distância: 10 km (opcionalmente mais 4 km)
Duração prevista: 3/4 horas
Grau de dificuldade: Baixo / médio
Época aconselhada: todo o ano
Estado: ABERTO

 

Trilho

Ficheiros Google Earth (Coordenadas GPS)
Para usar o link KMZ dos percursos necessita de ter instalada a ferramenta Google Earth™ que é uma ferramenta de análise espacial com um vasto leque de funcionalidades.

pr1.kmz

 

Ficheiros para GPS
O formato GPX (GPS Exchange Format) é um formato de dados XML reduzido para troca de dados GPS (waypoints, rotas e Tracks) entre aplicações e serviços de internet. A maioria dos receptores GPS existentes no mercado suporta a importação de ficheiros neste formato ou mesmo no formato KML (ficheiro KMZ descompactado).

pr1.gpx 

 

PR1 - desdobrável_percursos_pateira_cma


Ver PR1 - Da Pateira ao Águeda num mapa maior
  • Projeto N'Trilhos...o que é?

    Os trilhos que se explanam integram a Rede Municipal de Trilhos de Águeda – a N’TRILHOS. Perfazendo já perto de 60 km de caminhos, veredas, carreiros e estradas, integram mais de 60 pontos de interesse dispersos pelas 8 freguesias abrangidas pelos itinerários propostos, e cujo acesso se faz a partir dos trilhos principais.

    Tendo como promotor a Câmara Municipal de Águeda, a N’ Trilhos resulta ainda da colaboração de série parceiros – entidades públicas e privados – que permitiram o correcto estudo, desenvolvimento e implementação desta rede e de todas as potencialidades que encerra. Contudo, este é um trabalho que não se encontra encerrado, continuando outros caminhos a ser trilhados no sentido de continuar a alargar esta rede a novas freguesias e outros pontos de interesse municipais e supra-municipais.

    Colabore connosco

    Estes trilhos foram pensados de forma a permitir uma boa fruição dos espaços que abrangem. Neste sentido, solicitamos, desde já, que nos faça chegar todas as observações e sugestões que contribuam para a melhoria destes percursos!

  • Que equipamento devo usar?

    Para conforto e segurança do pedestrianista, é importante ter em atenção na escolha do equipamento. Nas caminhadas pode entrar-se em situações de muito calor ou de muito frio, terreno pedregoso ou escorregadio, etc. Assim, é importante que se esteja devidamente preparado para todas estas situações, sendo que se encontra bom equipamento à venda em lojas de desporto ou de montanhismo.

    1 – Roupa adequada

    O uso de roupa confortável e adequada à estação do ano também é importante. Nem sempre os trilhos são aconselhados em todo o ano, mas quando visitados em épocas distintas, os mesmos apresentam paisagens e características distintas, tão diferentes que por vezes é questionável se o percurso é o mesmo! Calças compridas são sempre aconselháveis, para protecção das pernas de possíveis arranhões.

    2 – No Outono e no Inverno, um corta-vento ou um impermeável dão sempre jeito.

    Além de impedir que o vento incomode dentro da roupa, o corta-vento evita também que se molhe, caso o tempo esteja húmido, com nevoeiro ou chuva. Os impermeáveis, podem ainda servir de casaco de aquecimento, quando assim o tempo o exige.

    3 – Calçado adequado.

    A dor nos pés a meio de uma caminhada é extremamente desconfortante… Tira beleza às paisagens e ao dia até então fabulosos, obrigando muitas vezes a que se volte para trás ou se atrase o grupo. Use sempre calçado desportivo, se possível botas de montanha com sola grossa.

    4 – Boné ou chapéu – elemento OBRIGATÓRIO!

    Proteger a cabeça dos raios solares sol, e mesmo os olhos (mesmo que se usem óculos de sol), é deveras importante. A tendência para a desidratação é maior (em épocas quentes), além de contribuir para a conservação do calor corporal na cabeça, no caso de se usar um gorro (em épocas frias - é pela cabeça que onde o corpo humano perde a maior parte do calor). Também não será demais a aplicação de um protector solar nas áreas de pele expostas, como a cara e as mãos ou braços, em qualquer época do ano.

    5 – Mochila com 2 alças.

    É neste equipamento que se transporta uma ou outra peça de roupa (outra t-shirt, um par de meias extra, uma camisola quente), alguma comida, água, uma bússola, a máquina fotográfica, o caderno de campo, um pequeno kit de primeiros socorros, etc. É essencial que seja pequena e com 2 alças ajustáveis e almofadadas (são de evitar as mochilas a tira colo, que contribuem para o desequilíbrio da coluna, tornando a caminhada menos confortável).

  • Quem devo contatar para obter outras informações acerca destes trilhos?

     

    CONTACTOS

    Endereço Postal:
    Câmara Municipal de Águeda
    Divisão de Desenvolvimento Local
    Praça do Município
    3754-500 Águeda

    Contacto telefónico
    234 610 070 – extensão 1427

    Telemóvel:
    Pedro Alves – 962 029 814
    Célia Laranjeira – 962 193 254

    Contactos de correio eletrónico:
    geral@cm-agueda.pt
    percursosdeagueda@cm-agueda.pt

  • Regras básicas que devo observar ao realizar estes trilhos.

    1 – Nunca faça um percurso sozinho!

    Mesmo que seja muito fácil, nunca faça um percurso sozinho. Pode acontecer alguma coisa, como torcer um pé, cair, sentir-se mal, etc., e lá ninguém o pode ajudar. Geralmente, os percursos afastam-se das vias de comunicação e fica-se mais isolados das pessoas e ninguém o consegue ouvir, caso precise de ajuda. Além do mais, é mais agradável partilhar-se a caminhada com alguém com quem se conversa e partilham as descobertas e emoções que se vão vivendo.

    2 – Procure não sair dos trilhos que estão marcados.

    O risco de se perder é elevado, não arrisque! Preserve os caminhos tradicionais, e ao passar junto ou em terrenos privados (que amavelmente autorizaram a passagem pelo trilho), respeite a propriedade, não destrua as vedações nem calque terrenos cultivados.

    3 – Durante a caminhada, não faça barulho…

    Tente comportar-se bem, para que a sua passagem nas zonas visitadas não seja sentida pelos animais habitantes. Assim, a hipótese de os observar é sempre maior, se não os afugentar.

    4 – Leve binóculos!

    A observação de animais como raposas, águias, cegonhas, ou de copas de árvores ou cumes de montanhas, será mais viável com a ajuda deste equipamento.

    5 – Ao encontrar gado no caminho, não faça movimentos bruscos!

    A melhor e mais segura atitude é passar pelo gado tranquilamente, pois apesar do ar mansinho que apresentam, ao se irritar, por exemplo, um boi que vem a caminho de casa, este animal é capaz de não gostar de o encontrar no seu caminho… então se houver filhotes, aí tem mais uma razão para não os incomodar mesmo!

    6 – NUNCA deixe o seu lixo pelos locais por onde passa!

    Ao preparar a mochila para o passeio coloque 1 ou 2 sacos plásticos para recolha do lixo – garrafas de água vazias, restos de comida, embalagens, guardanapos, etc. Assim preserva-se o solo e os cursos de água. Exerça a máxima: “Num passeio, nunca tires mais do que fotografias, não deixes mais que as tuas pegadas nem mates nada mais que tempo”.

    7 – NUNCA faça fogueiras!

    Ao se formar lume ou acender uma fogueira, quando as coisas se descontrolam pode ser provocar um incêndio e destruir toda a paisagem linda que o convidou a visitar esse espaço. Fogueiras serão apenas permitidas em locais devidamente assinalados para esse fim, além de que nunca devem ser abandonadas sem a certeza de que toas as brasas ficaram bem apagadas.

    8 – Sempre que possível, converse com os habitantes das localidades por onde passa.

    Para além de ser uma atitude simpática, as informações que daí se podem obter são sempre uma mais-valia para o visitante, que descobre coisas interessantes sobre os sítios por onde passa. A lembrança do passeio fica mais vincada depois da conversa estabelecida! Contudo, faça-o sem perturbar a tranquilidade dos habitantes.

    9 – Não recolha plantas nem flores!

    A beleza delas pertence ao local onde as encontra. Ao se arrancarem, estas morrem e perdem a sua beleza, além de que o lugar onde estavam também fica empobrecido. Tire fotografias ou desenhe-as no caderno de campo, conservando para sempre a beleza daquela flor ou planta encontrada naquele passeio.

    10 – Respeite os outros, bem como o património histórico e cultural.

    Caminhe com a precaução necessária para evitar acidentes consigo próprio ou com outros pedestrianistas, além de que, quando usufrui dos serviços de um guia, este nunca deve ser ultrapassado, e deve ser ouvido e acatadas as suas instruções. Evite também acções que conduzam à degradação ou destruição do património observado e visitado.

    11 – Sempre que se sinta cansado, pare e descanse.

    Nas caminhadas não existem contra relógios nem competições. Num grupo de caminheiros, os verdadeiros acompanham sempre os colegas, e não fazem competições para ver quem chega primeiro! O principal objectivo das caminhadas é o contacto com a natureza e o património encontrado, de forma relaxante e saudável!

    12 – Divirta-se e volte sempre!

  • Walkinágueda: a nova APP para os trilhos pedestres de Águeda


    No âmbito das I Jornadas Europeias do Turismo, decorridas em Águeda nos dias 10, 11 e 12 de julho, a Câmara Municipal de Águeda apresentou publicamente a nova aplicação mobile para os trilhos pedestres do concelho.


    Denominado “Walkinágueda”, este aplicativo surge no âmbito do Smart Tourism, e do trabalho desenvolvido em prol da promoção de Águeda como destino turístico e pretende ser uma ferramenta útil para os visitantes usufruírem dos trilhos que atualmente estão ativos no concelho.
    A app está disponível em dois idiomas: português e inglês. Para a utilizar, apenas é necessário criar um perfil pessoal com alguns dados básicos (sexo, idade, peso e altura) e depois selecionar o trilho que se pretende realizar. Durante o percurso, o utilizador poderá consultar os mapas de todos os trilhos, bem como todas as informações relativas a cada Ponto de Interesse. Uma das principais vantagens deste aplicativo é a possibilidade de ser utilizado em modo offline, sendo que a aplicação reconhecerá a posição do utilizador quando o mesmo estiver no local do trilho pretendido.


    A “Walkinágueda” tem ainda a particularidade de registar as calorias que o utilizador “queimou” no decorrer dos seus trilhos.
    A aplicação já se encontra disponível para download nas plataformas Google Play e App Store.


    QRCODES:

    Google Play itunes

    |