Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

Centro de Artes de Águeda com mais de 125 mil espetadores em três anos

Centro de artes2 1  1 1024 2500
15 Maio 2020

Nos seus três anos de existência, este equipamento municipal recebeu cerca de 460 eventos

O Centro de Artes de Águeda (CAA), que celebrou esta semana três anos de existência, tem feito um “percurso de sucesso, pautado por uma aposta eclética da sua programação, envolvendo as diferentes performances artísticas, numa expressão de apoio à difusão da cultura e à formação de públicos”, referiu Elsa Corga, Vereadora da Cultura da Câmara de Águeda.
Os números destes três anos evidenciam o interesse que a programação cultural deste equipamento tem provocado junto do público. Ao longo deste período, passaram pelo CAA cerca de 125.580 pessoas, sendo que 77.881 assistiram a espetáculos inseridos na programação geral e 47.699 participaram nas atividades propostas pelo Projeto Educativo.
O CAA recebeu, nos seus três anos de existência, um total de 281 eventos de programação geral (entre espetáculos de dança, teatro, música ou outras performances), bem como 177 ações ligadas ao Projeto Educativo e ainda 32 exposições.
Logo no ano de abertura, em 2017, o CAA contou com 23.332 espetadores, um número que evoluiu para 50.836 pessoas, em 2018. No ano passado, assistiram aos diversos espetáculos do CAA 42.935 pessoas. Desde o início do ano, o CAA contou com a presença de 8.480 pessoas nas suas iniciativas.
Em março, com o Plano Municipal de Contingência da pandemia de COVID-19, que impôs o encerramento ao público do CAA, foi adotada uma nova estratégia, levando à criação de conteúdos digitais que garantissem a continuidade da fruição cultural, mantendo o público envolvido no CAA e convidando-o a ter uma participação ativa nas várias atividades propostas.
Para além da visita virtual à Exposição Bicicleta Motorizada, estão calendarizadas rubricas diárias e temáticas, com uma área definida para cada dia da semana e partilhadas nas redes sociais. Assim, as segundas-feiras são contemporâneas, as terças técnicas, as quartas curiosas, as quintas permitem recordar, à sexta é para ter ideias. Ao fim de semana, é para saber “o que se ouve por CAA” e “olhar p’ra CAA” .
As propostas do CAA são transmitidas nas suas redes sociais, Facebook (https://www.facebook.com/centroartesagueda) e Instagram (instagram/centroartesagueda) e incluem música, arte contemporânea, fotografia e curiosidades acerca do espaço do CAA, sem esquecer as ideias para colocar em prática em tempos de isolamento social.
Por ocasião do 3.º aniversário do CAA, foi lançado um CAAderno de Atividades, com uma compilação de jogos, passatempos e atividades lúdicas, tendo como tema central o próprio Centro de Artes.
Neste momento, está em curso a “8.ºC em Casa - Residência Artística CAA-ESAP”, uma iniciativa que envolve o 8.ºC da Escola Secundária Adolfo Portela, em parceria com o Projeto Educativo do CAA. Trata-se de uma residência artística, decorrente das disciplinas de Educação Visual e Educação Física, que quando foi iniciada iria culminar na construção de uma instalação artística feita a partir de plástico reutilizado e no desenvolvimento de uma performance que dialogasse com a obra. Apesas das limitações impostas pela pandemia COVID-19, os alunos, professores e CAA decidiram manter o projeto e partilhar semanalmente, nas redes sociais do CAA, os momentos que estão a marcar todo o processo criativo.
A pensar no Dia Mundial da Criança, o CAA está a promover uma atividade intitulada “Obras em Casa”, que é inspirada nas oficinas realizadas pelo Projeto Educativo e que passa pela disponibilização, nas redes sociais do CAA, às sextas-feiras durante este mês, de informações que darão o mote para a produção de obras e que serão feitas por cada participante nas suas casas. Depois da(s) obra(s) concluída(s), os participantes devem fotografar a exposição dos trabalhos e enviar as fotografias para o e-mail centroartesdeagueda@gmail.com até ao dia 28 de maio. No dia 1 de junho, o CAA fará a partilha dessas fotografias nas suas redes sociais, assinalando, assim, a importância da Declaração Universal dos Direitos da Criança.