Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

BeÁgueda operacionais e em fase de teste

Beagueda 1 1024 2500
03 Março 2020

Neste momento em fase de teste e de forma gratuita durante um mês, as beÁgueda ressurgem com uma imagem moderna, renovada e com muita tecnologia agregada

As bicicletas elétricas de uso partilhado de Águeda – ou beÁgueda – já estão espalhadas pelos novos quatro parques distribuídos pelo Município, em concreto no Posto de Turismo, Câmara Municipal, Biblioteca Municipal Manuel Alegre (BMMA) e Escola Secundária Adolfo Portela/GNR. Para já, a sua utilização está em fase de testes, sendo, por isso mesmo, gratuita durante o primeiro mês de utilização, a quem aderir até ao dia 15 de março.
A opção pela utilização de meios de mobilidade suave é uma preocupação da Câmara de Águeda, que tem apostado em dinâmicas pedagógicas para um uso consciente dos recursos e em políticas que promovam meios de locomoção amigos do ambiente. As beÁgueda são disso exemplo, sendo um projeto que já passou por várias fases e depois de uma paragem para reformulação do conceito e melhoria tecnológica, estão agora de regresso com uma imagem moderna, totalmente renovada e prontas a serem usadas pelos cidadãos.
“Queremos que as beÁgueda façam parte do quotidiano das pessoas, que sejam usadas nas suas deslocações, que as utilizem para conhecer o Concelho, mas acima de tudo que as usem como alternativa a meios de transporte poluentes”, disse Edson Santos, Vice-Presidente da Câmara, que ainda sublinhou o fato de Águeda ser um Município onde a bicicleta tem uma importância muito grande, até em termos económicos e industriais, sendo este um projeto que respeita este legado.
A Câmara de Águeda há já cerca de uma década que aposta nas bicicletas de uso partilhado, tendo decidido reformular o conceito. Não obstante o esforço encetado, o projeto passou por alguns percalços, externos à vontade do Município, que condicionaram a implementação das novas beÁgueda.
Muito mudou nas beÁgueda, desde o aumento de parques e bicicletas disponíveis até à tecnologia utilizada para gestão dos parques e do sistema de utilização, uma vez que todas as bicicletas estão equipadas com GPS, sem esquecer que cada doca permite o carregamento elétrico da bicicleta.
Para além do cartão de utilizador, que permite retirar as bicicletas do parque, a nova aplicação – app beÁgueda – permite um uso mais independente, uma vez que, através do telemóvel, o utilizador tem acesso a toda a informação dos parques e bicicletas disponíveis. A tecnologia de que dispõem permite, entre outros aspetos, que um utilizador pontual, como um turista ou alguém que esteja de passagem por Águeda, as possam usar com maior facilidade, precisando, apenas, de descarregar a aplicação no seu telemóvel.
Neste momento, estão disponíveis 20 bicicletas nos quatro parques já referidos, sendo que é objetivo da Autarquia alargar o conceito, numa segunda fase, a outras freguesias, designadamente àquelas que têm apeadeiros da Linha do Vouga próximos de núcleos populacionais, concertando a utilização de meios de mobilidade suave, conforme previsto no âmbito do projeto cofinanciado SMARTA2.
A Câmara de Águeda disponibiliza várias formas de ter acesso às bicicletas: as pessoas podem aderir, de uma forma simples, nos serviços da Autarquia, durante o respetivo horário de funcionamento, designadamente no Gabinete de Atendimento ao Munícipe (GAM, localizado no edifício da Autarquia), na BMMA ou no Posto de Turismo, recebendo um cartão de utilizador, que permite desbloquear a bicicleta do parque passando-o pelo leitor integrado no equipamento; em alternativa, os interessados poderão fazer download da app na Google Play Store, onde, para além da inscrição, deverá ser feito o pagamento do serviço e ainda saber em que parque há bicicletas disponíveis para utilização.
O sistema está a ser programado e adaptado à sua funcionalidade, pelo que a Câmara de Águeda solicita aos utilizadores desta fase de testes que comuniquem à Autarquia qualquer anomalia com que se deparem, agradecendo “a todos a compreensão e contributo para que este serviço seja uma mais-valia para as pessoas, para a Cidade e para o ambiente”.
Após esta fase em que a utilização das beÁgueda é gratuita, os utilizadores terão de revalidar a sua inscrição num dos referidos serviços e efetuar o pagamento correspondente à modalidade de utilização pretendida. O cartão funciona como um passe que pode ser anual (24 euros), mensal (oito euros) ou diário (dois euros).
Cada utilização decorre por um período máximo seguido de uma hora, devendo o utilizador, obrigatoriamente, devolver a bicicleta a um dos parques dentro deste período, disponibilizando-a, assim, a qualquer outra pessoa. Contudo, poderá ser levantada nova bicicleta ao fim de 15 minutos. Um método que permite uma maior circulação de bicicletas em todo o Concelho, que é o objetivo principal da Câmara, que as bicicletas possam ser usadas por todos de uma forma simples e dinâmica.