Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

Câmara de Águeda acompanha lançamento da 1.ª pedra de casa de acolhimento para crianças doentes em Bissau

Foto v2 1 1024 2500
12 Fevereiro 2020

A cerimónia aconteceu na última semana, em Bissau, num momento que contou com a presença do Presidente da Câmara de Águeda, que também reuniu com diversas entidades públicas

O Presidente da Câmara Municipal de Águeda, Jorge Almeida, esteve, na última semana, na Guiné-Bissau, onde reuniu com Rui Gonçalves Cardoso, Presidente da Câmara de Bissau, bem como com Juliano Augusto Fernandes, Ministro do Interior da Guiné-Bissau, e com António José Alves de Carvalho, Embaixador de Portugal em Bissau.
A par destas reuniões bilaterais, o Edil aguedense esteve presente na assinatura do contrato de aquisição de um terreno onde vai ser construída uma casa de acolhimento para crianças doentes em Bissau – uma obra da Missão Saúde para a Humanidade (MSH) e que conta com o apoio da Autarquia – e acompanhou o lançamento da primeira pedra desta infraestrutura, que pretende dar resposta à necessidade de assistência médica e cirúrgica de crianças com patologias graves que não encontram naquele País africano. Uma vez que no país não existem meios para tratar estes doentes, a MSH assegura a evacuação destas crianças para o Hospital de S. João, no Porto, onde são sujeitas a tratamentos e cirurgias, ao abrigo do projeto Esperança, celebrado pelo Estado Português para os PALOP.
Tendo em consideração as relações históricas e de amizade entre Águeda e Bissau, como o atesta o acordo de geminação assinado em 2000, os Presidentes de Câmara destas cidades-irmãs, Jorge Almeida e Rui Gonçalves Cardoso, estiveram reunidos e na troca de ideias surgiu a proposta de colaboração, por parte da Autarquia aguedense, em proporcionar estágios de formação de quadros da Câmara de Bissau em áreas como a higiene urbana, recolha e tratamento de resíduos e modernização e organização administrativas. Uma formação que poderá vir a decorrer em Águeda, no âmbito do referido acordo de geminação.
Juliano Augusto Fernandes, Ministro do Interior da Guiné-Bissau, recebeu Jorge Almeida para uma reunião, onde ficou concertada a possibilidade de colaboração na área da Proteção Civil, a exemplo do que já aconteceu no passado, nomeadamente com a cedência de alguns equipamentos e meios de assistência (ambulâncias e carros de combate a incêndios).
Já na reunião bilateral com António José Alves de Carvalho, Embaixador de Portugal em Bissau, o Presidente da Câmara de Águeda aproveitou para reforçar o pedido de apoio à MSH e apelar a uma maior diligência na desburocratização da emissão dos vistos necessários para as crianças doentes que têm de viajar para Portugal para serem operadas.

Casa-abrigo para crianças doentes
A MSH adquiriu um terreno, localizado no Bairro de Antula, em Bissau, tendo, para tal, contado com o apoio financeiro da Câmara de Águeda, ao abrigo de um protocolo assinado em dezembro último.
“É uma forma de os aguedenses apoiarem esta cidade e este País que não deixa dúvidas quanto à sua validade e humanismo”, refere Jorge Almeida, Presidente da Autarquia de Águeda, tendo em conta “as condições urgentes e de emergência” em termos clínicos das muitas crianças que são ajudadas pela MSH e que não são possíveis tratar em Bissau, que não tem os recursos médicos e de tecnologia clínica necessários. A execução deste projeto reveste-se de especial importância, pois é algo que vai incidir diretamente na melhoria das condições de saúde e nos eventuais tratamentos que as crianças de Bissau necessitem.
Após a aquisição formal do terreno, a comitiva deslocou-se ao local onde vai ser construída a casa de acolhimento de crianças doentes, onde procederam à cerimónia simbólica de lançamento da primeira pedra da obra.
O projeto prevê a construção de uma casa para acolher crianças e jovens antes e depois de serem tratados em Portugal (pré e pós evacuação). Esta casa-abrigo servirá para apoiar na adaptação das crianças/jovens ao contexto português e depois no regresso à sua realidade sócio-cultural, bem como para receber os voluntários da MSH e equipas médicas que se deslocam a Bissau.
“O que pretendemos é ter um espaço para alojar os meninos e meninas, com casas de banho e um espaço comum para as refeições e uma sala de estar; bem como pelo menos três quartos para acolher os voluntários e uma cozinha comum”, explicou Maria José Ferreira, Presidente da MSH, que se mostrou “muito grata” pelo apoio que a Câmara de Águeda atribuiu ao projeto.
O Edil aguedense, Jorge Almeida, ainda acompanhou uma visita de (re)conhecimento ao trabalho realizado pela MSH em Bissau, como o Lar de Betel, uma obra social que é apoiada pela ONG, tendo ainda conhecido algumas das crianças que já foram evacuadas e tratadas em Portugal.

 

IMG_3897

IMG_3887

IMG_6490

IMG_6268