Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

Câmara alarga apoio de terapia da fala nas escolas

Protocolo 1 1024 2500
30 Janeiro 2020

Acordo com a CERCIAG permite expandir o apoio de terapia da fala que é disponibilizado em contexto escolar

A Câmara de Águeda assinou, ontem, um protocolo com a CERCIAG - Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades de Águeda, CRL., válido por 12 meses, que visa o alargamento do apoio de terapia da fala que é prestado às crianças que frequentam os ensinos Pré-escolar e 1.º Ciclo nas escolas do Concelho.
Até ao momento, no âmbito da delegação de competências do Estado nos Municípios nas áreas sociais e considerando que, tal como determinado por lei, o aluno tem o direito de beneficiar de outros apoios específicos, adequados às suas necessidades escolares ou à sua aprendizagem, a Câmara de Águeda tem vindo a prestar apoio, nos últimos anos, ao nível da terapia da fala, às crianças do Pré-escolar e 1.º Ciclo.
Perante a sinalização de várias crianças com problemas de linguagem, que lhes condicionam os processos de aprendizagem, a Câmara considerou “imprescindível alargar e expandir a terapia da fala em contextos escolares”.
Neste âmbito, o trabalho do terapeuta da fala incide na avaliação e intervenção ao nível da comunicação verbal (articulação oral/escrita e fala) e não-verbal, bem como da interação social e da motricidade orofacial de alunos com multideficiência ou perturbações do espectro do autismo.
Segundo os pressupostos do acordo, vai trabalhar-se, nesta fase, não só a criança, mas também os familiares e docentes/educadores que a acompanha, de forma a capacitá-los para que, no dia a dia, deem continuidade ao trabalho realizado pelos especialistas.
Este trabalho visa “a estimulação de competências linguísticas de crianças que apresentam lacunas no desenvolvimento da linguagem oral/escrita e a sensibilização para a importância da estimulação da linguagem, sobretudo da consciência fonológica, nos diferentes contextos em que a criança se encontra inserida, nomeadamente escolar e familiar”.
Este projeto vai ser implementado de duas formas: através de uma intervenção seletiva junto de crianças identificadas como estando em situação de risco, por apresentarem perturbação da linguagem e/ou fala, que beneficiarão de uma intervenção terapêutica individualizada em contexto escolar; e através de uma intervenção universal, que prevê a realização e dinamização de ações, no âmbito da prevenção e capacitação, destinadas a famílias, educadores e/ou professores, dotando-os de conhecimentos, ferramentas e estratégias de promoção da consciência fonológica que poderão ser implementadas no dia a dia das crianças.
Para executar este projeto de intervenção nas escolas do Concelho e com base no protocolo hoje assinado, a Autarquia atribui à CERCIAG um apoio de 29.525,12 euros, uma verba que será transferida de uma forma faseada, sendo que a instituição apoiada terá de fazer relatórios trimestrais com a monitorização dos indicadores que permitirão avaliar o trabalho desenvolvido.
Para Elsa Corga, Vereadora da Educação da Câmara de Águeda, este apoio é uma “mais-valia que é disponibilizada nas escolas, não só às crianças, mas também agora às famílias e educadores, que precisam de uma orientação para saber lidar com algumas problemáticas específicas dos seus educandos”.
Refira-se que, além deste apoio de terapia da fala, a Câmara Municipal de Águeda presta, também nas escolas, apoio psicológico, através do GAPSI (Gabinete de Atendimento e Acompanhamento Psicológico), que envolve técnicos especializados, quer da Autarquia, quer dos diferentes parceiros que cooperam nesta área, a Junta de Freguesia de Valongo do Vouga, bem como as instituições de solidariedade social Os Pioneiros e o Centro Social e Paroquial da Borralha. Este apoio é concretizado em cada escola do Concelho, de acordo com o estabelecido com cada agrupamento de escolas do Município. Um serviço que pretende colmatar as dificuldades sentidas pelas escolas e instituições do Concelho de Águeda, de forma a intervir eficazmente nas problemáticas emocionais e comportamentais das crianças dos ensinos Pré-escolar e 1.º Ciclo do Município.