Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

Luto Municipal pelo falecimento do Comendador António Soares de Almeida Roque [1918-2018]

Comendador almeida roque 1 1024 2500
19 Maio 2018

Foi com a mais profunda consternação que recebi, a notícia do falecimento do nosso ilustre conterrâneo e benemérito, Comendador António Soares de Almeida Roque.

Para o futuro fica dele uma carreira de grande empresário e uma atenção muito particular às vertentes social e cultural do concelho, que foram as marcas do seu percurso de um século de vida.

O Comendador Almeida Roque serviu a sociedade de várias formas, comparticipando obras no Concelho de Águeda e fora dele.

A nível cultural concedeu grandes apoios às cinco Bandas Filarmónicas de Águeda, sobretudo na valorização do seu instrumental, e a muitas outras colectividades.

Nos últimos anos, ergueu a Fundação Família Almeida Roque, no centro da Cidade de Águeda, corolário de uma vida cheia de sucessos e de amor a Águeda.

Teve também um papel participativo na sociedade, tendo servido o Município de Águeda enquanto Vereador da Câmara Municipal, pelo que decreto dois dias de luto municipal pelo seu falecimento.

As cerimónias fúnebres decorrerão amanhã, domingo, pelas 12:30 na Igreja Matriz de Águeda.

Nesta hora difícil, quero expressar à família enlutada, em meu nome pessoal e da Câmara Municipal de Águeda, os sentimentos do nosso mais profundo pesar.

 

O Presidente da Câmara Municipal,
Jorge Almeida.

 

Despacho de Luto Municipal

 

----------------------------------------------------------

Breve Nota Biográfica

António Soares de Almeida Roque nasceu em Barrô, em agosto de 1918, fruto do casamento de José Nunes Simões Roque e de Maria da Conceição Almeida.


Dado à coisa pública, exerceu cargos políticos ao mais alto nível no concelho de Águeda, integrando, como vereador, o executivo municipal presidido por Gil Pires Martins e do qual também fizeram parte Abel Pires, Américo Serra, Antero Fernandes Varanda, Fernando Bessa e Gabriel Abrantes.


Almeida Roque tomou posse a 2 de janeiro de 1964 (cumpriu dois mandatos), tendo-lhe sido confiadas competências nas áreas da comunicação, conservação e reparação de estradas municipais, caminhos, pontes, viadutos e arruamentos.


Mais tarde, a 28 de agosto de 1972, tomou posse como vogal do Conselho Municipal, presidido por Horácio Marçal é constituído, ainda, por António Faria Gomes, António de Bastos Xavier, António Neves dos Santos, José Maria Marques, Manuel Marques de Almeida, Octávio de Jesus e Vital Rodrigues de Almeida.


De origens modestas, António Soares de Almeida Roque conquistou um lugar de excelência na sociedade, revelando-se um empresário de sucesso, criando postos de trabalho e gerando riqueza, que distribuiu desinteressada e generosamente por instituições da mais variada índole neste concelho, na região e no país.


O Município de Águeda concedeu-lhe a Medalha de Ouro da Cidade de Águeda e o Presidente da República, Jorge Sampaio, atribuiu-lhe o Grau de Comendador da Ordem do Mérito Agrícola, Comercial e Industrial - Classe de Mérito Industrial.


A última homenagem que Águeda prestou a Almeida Roque teve lugar em Março passado, quando a Orquestra Municipal de Águeda, projecto da Autarquia e da União de Bandas, relevou o seu papel fundamental na afirmação do movimento filarmónico local.


Mestre da sensibilidade e produtor de sonhos, Almeida Roque sempre soube ter uma palavra amiga, sábia e compreensiva, em repetidos gestos de vocação altruísta e filantrópica, que vão deixar saudades, pelo que importa sublinhar o seu exemplo criativo, a sua dinâmica e a sua enorme grandeza humana.