Passar para o Conteúdo Principal Top
Hoje
Máx C
Mín C

PAAJ

O que é ?

Para que a tua associação possa ser polo dinamizador de participação cívica e de aprendizagem democrática foi criado o Programa de Apoio às Associações Juvenis (PAAJ) que visa fornecer apoio técnico e financeiro às Associações Juvenis inscritas no Registo Nacional das Associações Juvenis (RNAJ).

Modalidades de apoio

Os apoios que podes ter através do PAAJ dividem-se em duas modalidades:

1. Plano de Desenvolvimento

Os apoios do Plano de Desenvolvimento , têm como base o plano de actividades da tua associação, onde deverão ser indicadas as acções a desenvolver, o número de jovens participantes, os meios humanos, materiais e financeiros necessários assim como a respectiva calendarização e orçamento.

Se candidatares a tua associação a esta modalidade de apoio não poderás candidatá-la aos Apoios Pontuais.

2. Apoio Pontuais

Os Apoio Pontuais visam apoiar actividades tendo por base um projecto onde deverão ser indicadas as acções a desenvolver, o número de jovens participantes, os meios humanos, materiais e financeiros necessários assim como a respectiva calendarização e orçamento.

Só poderás candidatar a tua associação com oito projectos para um total de quatro áreas durante um período de 12 meses.

As áreas das duas modalidades (Planos de Desenvolvimento e Apoios Pontuais) a que te podes candidatar são:

  • Infra-estruturas;
  • Equipamento;
  • Recursos Humanos;
  • Actividades;
  • Relações Internacionais;
  • Funcionamento;
  • Publicações;
  • Formação;
  • Documentação;
  • Informação;
  • Assessoria Jurídica.
  • Como fazer a candidatura

    Como fazer a candidatura

    Para efectuares a tua candidatura tens duas hipóteses:
    A) Suporte Papel - para isso terás que te deslocar à Delegação Regional do IPJ da área da sede da tua associação e preencheres os formulários específicos. Se a tua associação for de âmbito nacional deverás efectuar a candidatura nos serviços centrais do IPJ.
    B) Internet - deverás entrar no link PAAJ, disponibilizado neste Portal aquando da apresentação de candidaturas, para tal deverás contactar a Delegação Regional da àrea da sede da Associação que te fornecerá um login e uma password de acesso e assim poderás concretizar a candidatura.

    Prazos para a apresentação da candidatura

    Plano de Desenvolvimento, até 30 de Novembro do ano que antecede o apoio.
    Apoio Pontual, com antecedência de 20 dias úteis à realização da actividade.

    Resposta à candidatura

    Plano de Desenvolvimento, no prazo de 60 dias úteis.
    Apoio Pontual, no prazo de 30 dias úteis nas áreas de infra-estruturas e equipamento e 15 dias úteis nas restantes áreas.

    Justificativos

    Para a modalidade Plano de Desenvolvimento deverás apresentar até 31 de Março do ano seguinte o respectivo relatório de contas e actividades. O IPJ poder-te-á solicitar a entrega de relatórios parcelares para controlo do cumprimento dos objectivos.
    Para a modalidade Apoio Pontual deverás entregar o relatório de contas e actividades até 30 dias úteis a contar da data final da acção.
    A tranferência financeira da última prestação só será efectuada após conclusão da acção e entrega do relatório e respectivos documentos justificativos de despesa.
    Atenção que o incumprimento ou a apresentação de irregularidades na aplicação das verbas atribuídas pelo IPJ, implicará a imediata suspensão do processamento das mesma e não te permite candidatares-te a qualquer apoio durante 2 anos, além de outras sanções.

    Ultima actualização 14 Janeiro 2005

  • Critérios de apreciação

    Os pedidos de apoio têm em conta os seguintes critérios:

     

    • Âmbito local, regional, nacional ou internacional do projecto;
    • Capacidade de estabelecer parcerias;
    • Cumprimento dos objectivos do ano anterior;
    • Diversidade das actividades;
    • Grau de comparticipação financeira disponibilizada pela própria associação ou por outras entidades;
    • Localização do projecto a desenvolver;
    • Número de Jovens a abranger;
    • Participação dos Jovens na definição, planeamento, execução e avaliação do projecto;
    • Regularidade das actividades ao longo do ano.

     

    Além dos critérios mencionados o IPJ pode fixar normas complementares para a preciação das candidaturas.